HOSPITAL REGIONAL DE CARAGUATATUBA

  • 3
  • 29/09/2017

Novo Hospital Regional de Caraguatatuba, localizado no litoral norte de São Paulo, está com as obras a todo vapor. Empreendimento tem previsão de ficar pronto em junho de 2018.

Em breve, a população do Litoral Norte de São Paulo contará com mais um apoio de atenção à saúde. Trata-se do Hospital Regional Litoral Norte, em Caraguatatuba. As obras estão em ritmo acelerado e deverão ser concluídas até o segundo semestre de 2018.

Projetado para ser de alta complexidade, o Hospital Regional terá área construída de aproximadamente 28.000 m², com 9 salas de cirurgia e 220 leitos.

A MHA Engenharia ficou responsável pelos complexos projetos das áreas de estrutura e fundações; climatização e gases especiais; hidrossanitários e sistemas de prevenção e combate a incêndio; sistemas elétricos, eletrônicos e a coordenação geral dos projetos. Os projetos de arquitetura e paisagismo foram desenvolvidos em parceria com a Fernandes Arquitetos Associados. Todas as instalações foram concebidas para que, ao longo dos anos, a edificação possa sofrer alterações e reformas sem prejudicar o funcionamento do hospital, concretizando o lema que o “hospital é sempre uma obra inacabada”, como afirmava o Arquiteto Jarbas Karman.

“Todos os projetos foram idealizados de acordo com premissas relacionadas à sustentabilidade. Foi um grande desafio aprofundar nosso conhecimento e incorporar ao projeto todos os requisitos para certificação AQUA-HQE”, afirma o diretor adjunto da MHA Engenharia, Raymond Khoe.

Foram previstas no projeto medidas como o aquecimento de água por energia solar, a utilização de água de reuso nas bacias e jardins, teto verde, iluminação com lâmpadas LED, pisos drenantes nas áreas externas, bicicletário, entre outras aplicações.

“Para garantir a implantação destas medidas ainda na fase de projeto, a MHA contratou um consultor especializado nessa certificação para definir junto ao cliente todos os itens a serem trabalhados e garantir o atendimento aos requisitos da certificação. O processo foi dividido em quatro fases, sendo primeiramente a verificação e diagnóstico do projeto de arquitetura, em seguida os projetos de instalações e depois a definição e desenvolvimento dos itens a serem trabalhados. O último passo é uma auditoria geral do projeto, visando a confirmação de atendimento a todos os itens”, complementa Raymond Khoe.

Desta forma, o edifício conquistou, na fase de pré-projeto, a certificação AQUA-HQE (Alta Qualidade Ambiental) – uma certificação de uso e operação sustentável, que procura garantir o bom desempenho operacional do edifício e a redução dos impactos ambientais associados à sua operação. A certificação é de origem francesa, e foi concedida no Brasil pela Fundação Vanzolini.

A principal expectativa dos idealizadores dos projetos é que ele atenda de forma satisfatória todas as solicitações da saúde. “Em complemento, o projeto atendeu a todas as exigências da CETESB para os passivos ambientais do solo e da Secretaria do Meio Ambiente para o plano de compensação arbórea e atendeu também todas normas da ABNT, RDC-50, NR-10 entre outras, respeitando todas as solicitações de segurança para o pleno funcionamento do hospital, priorizando sempre áreas críticas em respeito ao atendimento da vida humana”, finaliza o diretor da MHA.

Estrutura

O Hospital Regional de Caraguatatuba possuirá 220 leitos, sendo: 184 leitos operacionais (48 de clínica médica, 48 de clínica cirúrgica, 25 de ortopedia e traumatologia, 25 de neurocirurgia e 40 de uti adulto), 16 leitos de day clinic e 20 leitos de pronto socorro.

O prédio contará ainda com acessibilidade universal e terá estacionamento, bicicletário e heliponto. Serão 7 pavimentos com a seguinte divisão:Pavimento Térreo (9.800m²) – Recepção (acesso principal), refeitório, cozinha, lanchonete, administração, diagnóstico, auditório, capela, emergência, farmácia e resíduos;

1º Pavimento (6.000m²) – Unidades de internação;
2º Pavimento (6.000m²) – Unidades de internação;
3º Pavimento (6.000m²) – Centro cirúrgico, day clinic e agência transfusional;
4º Pavimento (6.000m²) – Área técnica, laboratório de emergência e CME;
5º Pavimento (6.000m²) – UTI;
Cobertura – Central de água gelada – C.A.G., subestação e heliponto.